Cuidados para evitar violência urbana

Cuidados para evitar violência urbana

Alguns cuidados para evitar a violência urbana

A vida nas grandes cidades (e, lamentavelmente, cada vez mais também nas de menor porte) exige-nos atualmente uma série de pequenos cuidados para evitar a violência. Com atenção a certos detalhes no dia a dia e conhecendo o modus operandi dos bandidos, é possível reduzir nossa exposição a riscos dessa natureza. Confira estas dicas da Protector:

NO ÔNIBUS:

  • Procure utilizar cartão de vale-transporte ou tenha separada a quantia exata necessária para a passagem;
  • Evite se distrair com música ou aparelhos eletrônicos de qualquer tipo e mantenha-se acordado(a) durante todo o trajeto;
  • Cuide de sua bolsa, carteira e demais pertences. Mochilas devem ser mantidas, de preferência, em frente ao corpo;
  • Evite se posicionar junto às portas do veículo – locais preferidos dos assaltantes.

AO ANDAR PELA RUA:

  • Não leve consigo mais dinheiro ou cartões de crédito que o necessário;
  • Se precisar caminhar à noite, procure andar em grupo;
  • Preste atenção ao movimento a seu redor: se achar que está sendo seguido(a), mude várias vezes o lado da calçada ou entre em algum estabelecimento comercial;
  • Evite lugares mal iluminados e/ou com pouco movimento.

EM CASO DE SEQUESTRO:

  • Converse com a família sobre o famoso golpe do falso sequestro. Combine de sempre estarem com os telefones ligados – e compartilhem os contatos de outras pessoas que estudam ou trabalham perto dos integrantes de sua família;
  • Em caso de sequestro real, nunca reaja nem lute com os criminosos;
  • Procure manter a calma e fazer o que lhe é pedido;
  • Observe discretamente as características dos criminosos para o caso de ter de reconhecê-los depois;
  • Procure a polícia assim que for liberado.

BLINDANDO AS CRIANÇAS:

  • Faça com que as crianças decorem o próprio nome, nome dos pais, telefone de casa e endereço. Quando ainda forem novas para isso, procure colocar etiquetas com essas informações nas roupas ou objetos que carregam – porém de forma discreta, a fim de que esses dados não sejam explorados como isca por potenciais sequestradores;
  • Ensine como pedir auxílio à polícia (pessoalmente ou por telefone) ou a conhecidos quando elas perceberem estranhos em atitudes suspeitas ou que as estejam incomodando;
  • Explique que há partes do corpo que não podem ser tocadas por outras pessoas;
  • Ensine a não conversar com pessoas desconhecidas, tampouco aceitar balas, doces, presentes ou brinquedos;
  • Se o apetite da criança muda e ela começa a chegar em casa sem fome (ou se aparecem presentes cuja procedência ela não sabe explicar), desconfie;
  • Oriente seus filhos a não desviar do trajeto casa–escola–casa sem prévio acordo;
  • Oriente a criança a procurar pela professora ou diretora da escola sempre que estiver sendo vítima de brincadeiras de mau gosto ou perseguição por parte de outros alunos.

COM ADOLESCENTES:

  • Seja próximo de seus filhos, demonstrando afeto e preocupação com seu desenvolvimento;
  • Sempre crie situações para que os amigos dele venham até sua casa para conhecê-los melhor. Também conheça os pais deles;
  • Não deixe que o jovem saia de casa sozinho com joias, tênis, bonés ou roupas caras;
  • Explique que ele(a) deve se afastar de situações perigosas – como armas, acidentes e discussões. Ensine-o(a) a jamais incentivar brigas e confusões na escola ou fora dela;
  • Converse com os professores para saber em detalhes como é o comportamento do jovem em sala de aula;
  • Oriente para que, em jogos de futebol ou em dias de jogo, ele(a) fuja de provocações e se afaste de bandos de torcedores;
  • Se ele(a) for vítima de assalto ou sequestro, não lhe atribua culpa. Converse sobre o que poderia ter sido feito para evitar o fato. Mostre que valoriza a vida dele(a) acima de qualquer bem material.